sábado, 28 de novembro de 2009

I Rosa do Deserto - 14 de Novembro


Até mim chegaram estas palavras de amizade :)!
Começamos agora a trabalhar na II Rosa do Deserto.
Contamos com as tuas ideias e desejos. Escreve para petrapinto@gmail.com.

Denise Carvalho

Antes de mais, queria agradecer do fundo do coração à Petra pela iniciativa de dar a conhecer e juntar tantos profissionais desta área em Portugal. Todos tão diferentes mas ligados pelo amor e dedicação à Dança. Isso é de louvar, e o resultado falou por si. Aulas bem recheadas, com pessoas cheias de vontade de aprender... Um espectáculo a transbordar de energia, onde todos deram o seu contributo e trabalharam juntos para dar a conhecer a forma de arte milenar que é esta nossa dança... quer no palco como no backstage:)))


Conta comigo sempre para estas inicativas, e já aguardamos o II Rosa do Deserto...


Sem ti não seria possível... em nome da qualidade artística, do óptimo clima que se viveu e da união dada por esta Dança, obrigada!!




Vânia Cesário


O I Rosa do Deserto foi um evento maravilhoso em todos os aspectos!
Foram momentos inesquecíveis, fazer novas amizades, trocar experiências, adquirir e passar conhecimentos, ternura, afeto, determinação, humildade e acima de tudo a sede por kerer aprender!!!!
Foi assim k se realizou com sucesso o I Rosa do Deserto, trocamos envolvimento, dedicação e amor pela dança! Toda essa energia também foi transmitida à outras pessoas ao nosso redor (familiares, amigos, curiosos...) no espectáculo que se realizou logo a noite, cheio de magia e amor, levando uma onda de felicidade a quem lá estava presente. um verdadeiro show!!!
Obrigada a todas as pessoas k neste evento estiveram envolvidas e contribuiram para k td fosse um sucesso!
Obrigada especialmente à Petra por confiar no meu trabalho e no da cia Al Hayel!!!

E claro...k vem o II Rosa do Deserto!!!!!

Boas danças sempre!!!!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

"Little Samia Gamal"

Existem coisas que não conseguimos explicar à luz da ciência...
A Marta encontrou este video. Surpreende, intimida e esgota todas e quaisquer teorias de aprendizagem. Este é sem duvida um exemplo raro (penso eu, na minha cabeça ocidentalizada), mas marcante da existência de uma energia transformadora, de um eco-sistema fechado, em que nada se perde e tudo se transforma. A energia da vida que se desenham em passos de dança oriental.
Impressionem-se com a postura, com a suavidade dos braço, com a velocidade técnica de execução dos movimentos... a mim deixou-me sem saber o que pensar...

video

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Workshop: Escola Classica Egipcia e Baladi


Denise Carvalho dançou paras nós no espectáculo "Sussuros Orientais", um Baladi de Hossam Ramzy: um deleite para quem percebe desta arte; Cheia de classe e com uma execução tecnica fantástica.
Agora voltará a Coimbra no inicio do proximo ano, no dia 30 e 31 de Janeiro para ministrar dois workshops imperdíveis:

Inscreve-te já!



Escola Clássica Egípcia I e II

30 Jan

10h30m às 13h e das 14h30m às 17h

O objectivo de um workshop desta natureza é dar as ferramentas que possibilitem as alunas de ter a capacidade de dançar uma peça musical por si só, de forma criativa e coerente. A bailarina deve ser o 3D de tudo o que está a ouvir (Hossam Ramzy), sendo o instrumento visual de uma orquestra. Deve retratar ritmo, melodia, acentuações e todas as nuances musicais dentro da música. A improvisação e a criatividade vem do conhecimento técnico e musical que cada bailarina tem.
- O que é a Dança Oriental e o nascimento da “Escola Clássica Egípcia”
- Enquadramento teórico com visualização audiovisual da Idade de Ouro da Dança: Naima Akef, Samia Gamal, Tahia Carioca,…
- Como “Dançar a música”: o entendimento musical (alguns dos ritmos mais usuais em Dança Oriental; a melodia – pergunta e resposta; Orquestra versus instrumentos solistas; como DANÇAR cada secção melodia; tacsim)
- Exercícios de interpretação melódica (onde são abordados os principais instrumentos solistas)
- Exercícios de compreensão e precisão rítmica
- Será incluída a aprendizagem de uma pequena coreografia para sedimentar tudo o que foi apreendido.
Dançar e improvisar é uma arte, tal como, por exemplo, a arte cozinhar: depois de aprendermos muito bem a fazer uma receita podemos arriscar e inventar pratos por nós próprias

Baladi I e II


31 Jan

10h30m às 13h e das 14h30m às 17h

O Baladi é uma das manifestações mais emotivas dentro da Dança Oriental. É uma dança improvisada solista, de cariz popular, requer uma indumentária diferente e é bastante recente dentro das salas de espectáculos. Exige um conhecimento específico de tacsim awwady (improvisação, canto livre, nostálgico e não rítmico) de um dos grandes instrumentos solistas dentro da Dança Oriental: o acordeão (e, recentemente, saxofone, teclado,…)
- O que significa e o que é um Baladi – enquadramento teórico e técnico, Thoub (peça de roupa utilizada pelas raparigas baladi)
- Estrutura específica deste género musical e divisão nas suas três secções, explicando cada uma delas e como devem ser abordadas/ dançadas à luz do seu contexto
- Dança improvisada solista, e suas diferenças com Raqs Sharqi
- O desenvolvimento rítmico, pergunta e resposta com percussão e importância das acentuações (Me-Attaa – partir em pequenos pedaços a música e o ritmo, H. Ramzy); aceleramento rítmico (dança popular, fallahin e a importância do Tet)
- Dança acompanhada final (como se vê pelo desenrolar do workshop, o Baladi é sempre improvisado e solista).


Investimento:
Até 15 de Janeiro

1 workshop: 40 euros
2 workshops: 70 euros

Mais informações: petrapinto@gmail.com

I Rosa do Deserto foi um sucesso!



Finalmente chegou o grande dia!
E lá estava a sala das Master Classes a abarrotar de alegria e vontade de aprender.
Em todo o dia houve um clima de cumplicidade. Uma energia extasiante:)!
O espetáculo foi um momento mágico. Todas e todos os participantes brilharam. Brilharam por que são profissionais, por que gostam do que fazem e por que estavam de coração aberto e com uma grande vontade que tudo corresse bem para todos!

Obrigado pelo profissionalismo e pela energia que deram a este evento!

Obrigado a todas as participantes das Master Classes!

Obrigado a todas as professoras e bailarinas, ao Emad, ao Juan e Pilar e à grandiosa Companhia de Teatro Vivarte!

Agora só faltam as fotos e o video....

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Juan e Pilar os Encantadores de Serpentes




Pois as "cobrinhas" com que os Mozarabes dançam têm dono.

São os Encantadores de Serpentes do Levante: Juan e Pilar. Um casal espanhol. Mágico. Talvez tenham sido índios numa outra reencarnação:)! Não há bicho que não morra logo de amores pelo Juan....
Mais uns grandes amigos dos Mozarabes e a quem devemos tudo o que sabemos sobre estes animais sagrados.

Un Beso da Cia Mozarabes!

Companhia de Teatro Vivarte na I Rosa do Deserto


Somos muito afortunados, nós os Mozarabes:

A grandiosa Companhia de Teatro Vivarte também estará presente na I Rosa do Deserto.

A eles iremos dever toda a decoração do evento, o som e a produção e as teatrializações que ligarão cada uma das actuações das bailarinas.

A eles somos muito gratos por todo o apoio, por tudo o que nos têm ensinado ao longo dos anos e até pelo nosso nome, não tivesse sido o carismático Director da Companhia, Mário da Costa, a nos baptizar:)!

Um bem haja dos Mozarabes para a MELHOR companhia de Recriação Histórica da Europa.

Mais info: www.teatro-vivarte.org

XXX

Emad Selim - Tanoura


Para nossa alegria, o percursor e único bailarino de dança Tanoura em Portugal, estará presente no espectáculo "Sussuros Orientais" da I Rosa do Deserto.
Obrigado Emad pela tua participação e pelas "aulitas" de giro Derviche - Sufi.
A Cia Mozarabes agradece!

Master Classes I Rosa do Deserto - Esgotadas


Olá!

Estão esgotadas as inscrições para as Master Classes da I Rosa do Deserto.
Para quem quer ir ver o espectáculo os bilhetes continuam à venda:).

Beijos Bailantes e até sábado!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Populações Especiais - Artrite e Fibromialgia

Olá

Recebi o seguinte comentário na postagem de dia 11 de Outubro, "I Rosa do Deserto - 14 de Novembro", e respondo aqui, pois poderá haver mais quem tenha interesse nesta matéria:

"Petra ando com problemas articulares e está-me a cortar os movimentos .. e a vida!!falam em fibromialgia ..bolas queria tanto e faz-me tao bem essas energias.(...)"

Olá Cláudia:
Fiquei preocupada com o que me escreves...
Como ainda não te diagnosticaram nada em concreto, será limitada a minha capacidade para te aconselhar um programa de exercícios.
Mas vamos supor duas hipoteses: 1- Artrite; 2- Fibromialgia

1 - Artrite

É uma doença que leva a uma inflamação das articulações e do tecido conectivo adjacente. Os sintomas incluem a dor e a rigidez persistentes, inchaço em uma ou mais articulações (especialmente o pescoço, a coluna lombar e os joelhos), formigueiro nos dedos, nas mãos e nos pés, por vezes perca de peso sem causa aparente, febre e fraqueza. Existem dois tipos de artrite: a osteoartrite e a artrite reumatoide. Em qualquer um dos casos o principal objectivo de qualquer plano de exercício que faças deverá ser recuperar e manter a amplitude de movimentos e a capacidade funcional do corpo. Nada melhor que a Dança Oriental! Quem é portador desta doença beneficia com o exercício regular. Contudo uma actividade vigorosa, cheia de shimmies, hagallas, deslocações rápidas, não é recomendada durante o processo inflamatório agudo ou "crises" da artrite.
Cada caso deve ser avaliado de forma individual. Numa fase mais avançada da doença a dor e a rigidez podem levar à ineficiência da biomecânica.Exigindo-se aqui um programa cuidadosamente planeado, que para quem gosta de dança oriental poderá incluir exercícios de Hidroriental. Para quem sofre de artrite a água é um excelente meio para fazer exercicio. Deverá contudo ter uma temperatura um pouco mais alta do que os tradicionais 28 graus dos tanques de hidroginástica. Aproveita-se geralmente para se realizar estes exercício, após uma aula para bebés em que a agua rondará os 30 a 32 graus. Ou ir até uma piscina de fisioterapia.

2 - Fibromialgia

O Síndrome de Fibromialgia é uma condição crónica caracterizada por fadiga e dores generalizadas nos músculos, ligamentos e tendões. Para ser classificado com fibromialgia, um paciente deve ter 11 de 18 áreas específicas do corpo com dor ou pressão, e a dor difundida deve durar ao menos três meses. Os sinais e sintomas são enumeros:
- Dor difundida, fadiga, distúrbios do sono, o síndrome do intestino irritável, dores de cabeça crónicas, dor facial, aumento da sensibilidade, depressão, paralisia ou formigueiro nas mãos e nos pés, dificuldade concentração, alterações de humor, dor pélvica, dor na região peitoral, bexiga irritável, olhos, pele e boca secos, periodos menstruais dolorosos, tonturas e uma sensação de inchaço nas mãos e nos pés.

Com esta quantidade de sintomas vários tipos de tratamento e exercícios são prescritos. Técnicas de relaxamento e exercícios de condicionamento físico contribuem para reduzir o numero de pontos dolorosos e a dor generalizada, melhorar o sono o que conduz a menos fadiga e reduz ainda o impacto que a doença tem nas actividades do dia. Deverá ser feito exercício de baixo impacto. Aconselho por isso mais uma vez o exercício na água - Hidroriental. Também aqui deverá ser feito um plano especial de exercícios.

Espero que não tenhas nenhuma destas doenças. Caso estejas a ficar com artrite podemos ainda reverter ou atenuar o processo. Basta mandares um e-mail e combinarmos um encontro...e piscina aqui vamos nós!

A dança oriental pode e deve ser vivida por cada mulher dentro das suas limitações físicas, ainda que originadas por diversas patologias. Basta que procurem uma professora que tenha qualificação e esteja disposta a fazer um plano adequado à vossa situação. Ou que sintam e oiçam o vosso corpo pois ele tem sempre a resposta sobre o que podemos ou não fazer com ele.
A Dança Oriental é a dança da alma e nasceu no seio do povo, da família, dos rituais, da alegria e do amor. "Nós" é que a levamos para os palcos. Ela em si encerra objectivos e concretizações muito maiores que a profissionalização desta arte.
Dancem, dancem com toda a vossa alma, mesmo que com limitações físicas.E isto por que dançar é estar viva!

Beijos bailantes
Petra

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Iris - Precursora da Dança Oriental em Coimbra


Convidamos a Íris para participar na nossa "I Rosa do Deserto".
Ela foi a primeira professora a dar aulas de Dança Oriental em Coimbra. Queria homenagea-la. Pois tenho a certeza que deixou cá uma semente. Essa semente cresceu e alimentou a vontade de muitas de nós aprender e crescer nesta arte. E hoje já somos algumas nesta cidade.
A nossa querida Íris, não poderá estar em pessoa neste nosso projecto. Está na nona lua :)!
Envia-nos toda a sua luz, alegria e amor para que a nossa "I Rosa do Deserto" chegue a muitos corações.
A ela:

"Um mestre funciona como um agente catalisador, cuja simples
presença estimula...
É como quando o sol nasce pela manhã e os pássaros
imediatamente começam a cantar. Eles surgem voando de todos os
lados, celebrando e dando boas-vindas ao novo dia através das
canções. O sol não age directamente sobre eles, mas algo acontece;
o ambiente que ele cria faz com que os pássaros se sintam
vigorosos, jovens e vivos.
As flores começam a desabrochar...
O sol não se está dirigindo a cada flor, forçando-a a abrir, pelo
menos não de uma forma directa, entretanto os seus raios dançam
ao redor da flor, dando-lhe calor e encorajando-a delicadamente.
As flores têm de ser tocadas de uma forma suave, se você forçar
suas pétalas a se abrirem elas não resistirão. Você conseguirá
fazer com que se abram, mas ao mesmo tempo elas morrerão. O sol
simplesmente cria o clima no qual elas podem desabrochar. Um
desejo interior surge dentro delas, algum instinto misterioso entra
em sintonia com o calor do sol. E as flores se abrem e começam a
exalar sua fragrância.
Exactamente como o trabalho do mestre...
Ele não pode entregar a você aquilo que conhece, mas pode
criar um certo campo de energia no qual suas pétalas podem abrir,
no qual as suas sementes são encorajadas, em que você pode criar
coragem suficiente para dar o salto, no qual o milagre torna-se
possível."

Texto: Osho-Zen:The Special Transmission.
Tradução em português do Brasil, autor desconhecido

Links da Iris:
http://irislican.blogspot.com
http://womenwithmoonlighteyes.blogspot.com

Imagem da "I Rosa do Deserto"






O nosso site já está activo: www.rosadodeserto.netai.net
Toda a nossa imagem devemos à bailarina Inês Yasmin (inesdias@gmail.com - http://designismore.hostoi.com/)

Obrigada Joaninha!!! Sem ti não teria sido possível!

Nove Luas na Figueira da Foz


No dia 28 de Novembro dará inicio as "Nove Luas" na Figueira da Foz.
Mais informações em: www.noveluas.netai.net
Fico à vossa espera:)!

domingo, 11 de outubro de 2009

I Rosa do Deserto - 14 de Novembro

I Rosa do Deserto
14 de Novembro de 2009
Coimbra


As pequenas flores de areia cristalizada, conhecidas como Rosas do Deserto, são uma formação mineral que resulta da sedimentação de alguns minerais e areia através de um determinado processo que envolve a evaporação da água das chuvas no árido deserto e da erosão do vento.
Nasce a “I Rosa do Deserto”, como um símbolo da sedimentação da Dança Oriental em Portugal. Um processo longo, contínuo e sem hora marcada que se tem vindo a afirmar através de muitas lágrimas, emoções, força, sorrisos, desgostos e vendavais. Um bulício de sentimentos antagónicos que hoje deixam marcas em muitas de nós.
Este evento que contemplará sete Master Classes, e um espectáculo de dança “Sussurros Orientais“, irá trazer até ao público nomes que já nos são familiares. Cada professora ou bailarina com a sua sabedoria, a sua forma expressiva, e o seu desempenho.
Todas juntas formam uma Rosa do Deserto. Através do seu amor e dedicação por esta arte.
Vem fazer parte da nossa Rosa do Deserto!

http://www.rosadodeserto.netai.net
email: petrapinto@gmail.com

Master Classes

10h - 11h - Marjorie Sá e Nilson Dourado - Consciência Musical e Construção do Movimento na Dança Oriental
11h - 12h - Petra Pinto - Ritmos e Forma da Música Árabe
12h - 13h - Sueli Shamsa - Técnica de véus (Método Lulu Sabongi)
13h - 14h - almoço
14h - 15h - Vânia Cesário - Modern Bellydance
15h - 16h - Janah Ferreira - Flamengo Árabe - Saias
16h - 17h - Denise Carvalho - Escola Clássica Egípcia
17h - 18h - Rute Maluma - Bailando o Som e o Gesto
18h - 19h - Lajja Sambhavnath - Kataka – Dança Clássica da Indiana

Investimento:
Preço único – 50 euros

Inscrições: petrapinto@gmail.com

Local:

Clube Olivais Coimbra
Pavilhão Eng. Augusto Correia
Sala de Espelhos
Rua Bernardo Albuquerque, 167
3000-072 COIMBRA

Espectáculo

CIA Mozarabes, apresenta
“Sussurros Orientais”

Sinopse:

Este espectáculo, intitulado "Sussuros Orientais" nasce da sedimentação da dança em Portugal através das várias Escolas, Professoras e Bailarinas que têm impulsionado para o (re)conhecimento desta arte.
Através de sussurros chega-nos a sabedoria da dança oriental, e enquanto ela luta para se afirmar no ocidente, abre simultaneamente o espaço e cria o público para novas formas de expressão corporal e de dança étnica.
A companhia Mozarabes com os seus artistas convidados, apresenta um espectáculo multidisciplinar, inédito na cidade de Coimbra.
“Sussurros Orientais”, um espectáculo de partilha e celebração dos vários tipos de dança: a Oriental, a Havaiana e a Indiana. Um sussurro... um ruído leve sobre várias interpretações de dança, a nossa interpretação ocidental, de um mundo real que vai para lá do nosso imaginário, e que a imaginamos assim, com a humildade de que ainda muito falta a aprender, conhecer, interpretar...
Um sussurro que abre portas, a novas formas de arte, a novas formas de representação.
Deixe este sussurro oriental entrar em si e construa o seu próprio...

Elenco:
Mozarabes: Petra Pinto, Marta Machado, Horus

Artistas Convidados:
Denise Carvalho
Janah Ferreira
Nicole Pereira
Rute Maluma
Sara Magalhães
Sueli Shamsa – Cia, Shamsa
Vânia Cesário – Al Rayel
Dança Havaiana: Inês Yasmin
Dança Indiana: Lajja Sambhvanth

Investimento:
4 Euros

Local:

Instituto Português da Juventude – IPJ Coimbra

Rua Pedro Monteiro, 73
3000-329 COIMBRA
Tel: 239 790 600 Fax: 239 704 607
E-mail: ipj.coimbra@ipj.pt
Junto à Casa Municipal da Cultura, (Autocarro nº 6)

Escola de Dança Oriental Petra Pinto - 2009/2010

Olá Bailarinas e Bailarinos!

Iremos dar inicio a mais uma época cheia de magia e conhecimento. Dia 13 de Outubro,3ªfeira, reabre a nossa escola, repleta de novidades:

Nivel Iniciado
Nivel Intermédio
Bellydancekids
Tribal Fusion
Mantribalbellydance
RaksChackra

Experimenta uma aula grátis e sem compromisso!!!

Nível Iniciado
Profª Marta Machado


3ªs e 5ªs feiras das 20h15m às 21h15m

Esta será a tua primeira aula de dança oriental! Aqui aprenderás uma base sólida que te permitirá alcançar os níveis seguintes desta arte. Uma metodologia impar que não escolhe idades e nem padrões estéticos.
Atreve-te!

Nível Intermédio
Profª Petra Pinto


3ªs e 5ªs feiras - 21h20m às 22h20m

Para quem já tem as bases da dança oriental este é o próximo nível. Aqui começam os teus giros, a mescla de passos com shimmies, as hagalas, o uso dos primeiros acessórios, o estudo dos ritmos…
Um mundo de partilha e conhecimento será desvendado.


BellydanceKids
Profª Marta Machado


4ª Feira – 18h às 18h 45m

(Para crianças dos 5 aos 10 anos de idade)
Uma aula divertida, onde usaremos acessórios da dança oriental com as tuas medidas: voi-pois, véus, bengalas e asas.
Juntos dançaremos as histórias dos sultões, das princesas e dos génios das lâmpadas mágicas!


Tribal Fusion
Profª Marta Machado


4ª Feira – 19h às 20h

Pela primeira vez em Coimbra aulas de Tribal Fusion. Aplicar as técnicas de dança oriental a novas abordagens corporais e sonoras.
Para quem já tem conhecimentos de dança oriental.



Raks Chakra
Profª Petra Pinto


4ª Feira – 20h15m às 21h15m

Esta é uma aula de relaxamento, meditação e expressão corporal que associa movimentos de dança oriental, conduzindo ao equilíbrio e alinhamento dos chakras. Deixa-te evadir pela sensação de plenitude e bem estar da dançaterapia!


ManTribalBellydance
Profº Horus


4ª Feira – 21h20m às 22h20m

Dança do Ventre no masculino é o desafio que te propomos. Uma aula completa com uma abordagem inovadora. Os passos da dança oriental adaptados ao arquétipo masculino, assim como foi nos primórdios dos tempos. Se tens espírito de dançarino ou és um salseiro nato irás certamente adquirir maior consciência corporal, coordenação e flexibilidade.
Despe-te de preconceitos e integra-te na primeira turma da Europa. Exclusivamente para Homens.

localização:

Clube Olivais Coimbra
Secção de Dança Oriental
Pavilhão Eng. Augusto Correia
Sala de Espelhos
Rua Bernardo Albuquerque, 167
3000-072 COIMBRA

Curso Nove Luas - 31 de Outubro - Santarem

Iremos realizar o "Nove Luas" em Santarém, já no próximo dia 31 de Outubro.
Um curso para partilharmos mais conhecimentos, com nove módulos muito especiais:

Módulo I (31 de Outubro):"Despertar"

Módulo II (21 de Novembro):"Sussurros do deserto"

Módulo III (5 de Dezembro): "Vibração cósmica"

Módulo IV (23 de Janeiro): "Purificar"

Módulo V (20 de Fevereiro): "A Guerreira"

Módulo VI (13 de Março): "A Deusa"

Módulo VII (17 de Abril): "A tradição e Folclore"

Módulo VIII (8 de Maio): "Aprofundar"

Módulo IX (5 de Junho): "Celebração"

Festa Árabe "Nove Luas": onde as alunas irão fazer uma apresentação de uma coreografia individual aos familiares e amigos.

Para mais informações: http://noveluas.netai.net

Inscrevam-se já!